Conheça grandes ‘furadas’ no mercado de smartphones e saiba evitá-las

O mercado de smartphones é cheio de ofertas e boas oportunidades para quem quer entrar de vez no mundo iOS, Android ou Windows Phone. No entanto, há detalhes que podem fazer a diferença entre uma boa compra e prejuízos ou problemas. Para te ajudar a escapar deles, o TechTudo preparou uma lista com grandes furadas comuns na vida de consumidores de smartphones.

Galaxy S5 ou iPhone 5S? Veja qual top leva a melhor no comparativo

Acessórios falsificados ou sem certificação

Fones de ouvido, cabos USB e diversos outros componentes que acompanham smartphones costumam apresentar problemas com certa frequência. Diante disso, alguns usuários optam por comprar acessórios alternativos para escapar dos altos preços das peças originais. Não há nada de errado ou ilegal nisso, mas é preciso tomar cuidado para não entrar em uma enrascada.

Cabos de energia e outros componentes falsificados podem representar grandes riscos (Foto: Elson de Souza/TechTudo)

Não é raro ver casos de aparelhos incendiados ou com partes danificadas graças à utilização de acessórios de origem duvidosa. Quando for comprar um cabo que não seja original, por exemplo, observe se a voltagem do componente é a mesma utilizada no seu celular, procure saber a procedência do fio, qual a fabricante, se há algum teste ou certificação de órgãos conhecidos. Além disso, dê preferência a lojas do ramo em vez de ambulantes e exija nota fiscal para que, em caso de defeito, você tenha alguma garantia.


Os mesmos cuidados devem ser tomados ainda para fones de ouvido, dock stations, cabos HDMI, adaptadores ou qualquer outro acessório. Afinal, o barato pode sair caro com a perda do seu aparelho ou até mesmo diversos prejuízos materiais e à sua saúde.


iPhones muito antigos


Objeto de desejo para muitos consumidores, o iPhone também é um aparelho inacessível para parte da população. Para escapar dos R$ 2.799 cobrados pelo iPhone 5S, há quem recorra a versões mais antigas do telefone da Apple. No entanto, é preciso ficar atento a um aspecto muito importante: a atualização do iOS.

iPhone 3GS e modelos anteriores são opções nada vantajosas para quem deseja trocar de aparelho (Foto: Divulgação/Apple)

Por padrão, a Apple atualiza iPhone durante três anos após o seu lançamento, deixando modelos mais antigos sem novas versões do sistema. Sendo assim, procure por versões que estejam dentro desse prazo. Por exemplo, o iOS 8 chegará apenas ao iPhone 4S e modelos mais recentes, o que torna o iPhone 4 pouco vantajoso, mesmo com preço atrativo.


Já para iPhone 3GS ou modelos anteriores, a recomendação é evitá-los a qualquer custo. Afinal, estes sequer receberam o iOS 7, que trouxe grandes mudanças e funcionalidades ao aparelho. Além disso, a disponibilidade de novos aplicativos e jogos tende a ser bastante pequena, assim como o lançamento de atualizações importantes na App Store.


Vale a pena migrar do Android para o Windows Phone? Confira no Fórum

Android 2.3 (Gingerbread)

O Android 2.3 foi uma das versões mais populares do sistema do Google e a que deteve o maior número de usuários durante muito tempo até perder espaço para as edições Jelly Bean e KitKat. No entanto, não é difícil encontrar o Gingerbread em alguns aparelhos de entrada. Os preços chamativos, porém, podem esconder uma série de desvantagens.

Galaxy Y e outros aparelhos com Android 2.3 ainda podem ser encontradas em lojas online conhecidas (Foto: Divulgação/Samsung)

Assim como versões antigas do iOS, o Android 2.3 deixa de receber, gradualmente, diversos lançamentos e atualizações de aplicativos e jogos. Além disso, há uma gravidade a mais no caso do sistema do Google: a vulnerabilidade. Com o foco nas versões mais recentes, o Android Gingerbread deixa de receber importantes correções de segurança e se torna um alvo fácil para disseminação de vírus e outros malwares.


Antes de comprar um aparelho com a versão 2.3, mesmo que de segunda mão, analise se não há outras opções na Internet com um preço próximo e um Android mais recente. Atualmente, há modelos com a versão 4.4 KitKat, por exemplo, com preços bastante acessíveis e configurações razoáveis, como o Moto E, os LGs L30, L20, entre outros.


Windows Phone 7


O Windows Phone 7 não é uma boa opção para quem deseja comprar um aparelho. Prestes a ter o seu suporte base encerrado, o sistema parou na versão 7.8 e não deve receber mais atualizações da Microsoft, ficando totalmente obsoleto em pouquíssimo tempo.

Lumia 800 e outros aparelhos com Windows Phone 7 ainda têm bom desempenho, mas sistema é obsoleto (Foto: Divulgação/Nokia)

Uma das principais desvantagens do Windows Phone 7.x é que o sistema, além de ter uma loja fraquíssima, já não recebe tantas novidades quanto o seu sucessor. Embora ainda apresente bom desempenho em aparelhos como o Samsung Omnia W, Lumia 710, Lumia 800 eLumia 900, o sistema não deve receber nenhuma nova melhoria e oferecerá apenas o básico para o usuário. Além disso, existem modelos com a versões 8 e 8.1 do sistema da Microsoft com um preço bastante atrativo, como o Lumia 520 e o Lumia 630.


Xing-lings


Os xing-lings são aparelhos asiáticos de origem duvidosa e fabricado por empresas desconhecidas e que não atuam oficialmente no Brasil. Também conhecidos como MP15 ou 20, esses telefones costumam entregar design perecido com os das grandes fabricantes e especificações milagrosas, que nada chegam perto da supercâmera ou da TV de alta definição prometida.

Xin- lings tentam se passar por top de linhas apresentando qualidade inferior (Foto: Arte/Divulgação)

Assim como os acessórios, esses aparelhos têm fabricação bastante duvidosa, não oferecendo os testes e a segurança adequada. Há diversos casos de modelos que queimam ou apresentam mau funcionamento em pouco tempo de uso. Além disso, os xing-lings devem ser bloqueados pela Anatel brevemente, já que estes não recebem homologação no Brasil e não são produzidos por empresas confiáveis.


Alguns produtos tentam ainda enganar o consumidor, trazendo personalizações similares ao Android, iOS e Windows Phone. No entanto, nenhum deles consegue ter acesso às lojas dos três sistemas e nem oferecem a mesma variedade de aplicativos. Sendo assim, é mais vantajoso comprar modelos mais simples de marcas conhecidas do que investir um bom preço em aparelhos que vendem apenas a aparência.


Aparelhos sem garantia no Brasil ou internacional


O Brasil é um dos países onde os consumidores pagam mais caro na hora de comprar smartphones, tablets e outros eletrônicos. Para driblar isso, diversas pessoas optam por importar seus iPhones, Galaxys ou outros aparelhos para garantir um preço mais amigável ao bolso. O grande perigo nisso está no suporte ou assistência técnica.

HTC One é um ótimo aparelho, mas sem garantia e assistência técnica no Brasil (Foto: Divulgação/HTC)

Antes de comprar um smartphone em outro país, verifique primeiro se a fabricante oferece garantia de cobertura internacional. Caso não, pense se você conseguirá enviar o telefone para o seu mercado de origem em caso de defeito ou mau funcionamento. Comprar um aparelho sem garantia no Brasil pode acabar saindo caro se o mesmo precisar de uma reparos e assistência técnica por aqui.
Compart

Por: Multimidia Info

Navegue pela Data e encontre as Matérias em Ordem Cronológica.