Tweetar Post/Página

30 anos de Windows: veja como o sistema mudou

Do 1.0 ao 10

Divulgação/Microsoft


 O Windows passa, a partir de hoje, a ser um trigenário. A primeira versão do sistema foi apresentada pela Microsoft em 1985 e chegou somente a "usuários sérios", segundo Bill Gates

Atualmente na edição 10, o software teve versões de sucesso, bem como edições que não tiveram boa aceitação de público e crítica. A maior mudança visual aconteceu do bem-sucedido Windows 7 para o 8, com a investida da Microsoft nos notebooks com telas sensíveis ao toque – o que deixou um tanto confusas e insatisfeitas as pessoas com computadores com displays comuns.

Confira a seguir como o sistema evoluiu ao longo dos últimos 30 anos.

Windows 1.0

Divulgação/Microsoft
O codinome oficial era Interface Manager, mas o nome oficial escolhido foi Windows. O sistema já tinha algumas ferramentas que permitiam um uso – ainda que bastante limitado – parecido com o de um PC. O MS-DOS, o Paint, a Calculadora e o Bloco de Notas estavam lá, mas o Word ainda não. No lugar dele, tínhamos o Windows Writer, que era uma versão modestamente mais sofisticada do Bloco de Notas.

Ele também rodava um jogo que vinha pré-instalado, o chamado Reversi. 

Para executar o sistema, era preciso ter uma máquina com memória RAM de 256 kb, MS-DOS 2.0 ou 3.0, bem como um disco rígido – algo que ainda não era usual em computadores. As aplicações eram simples, já que o DOS só podia lidar com 1.024 kb.

A inferface também não era das mais intuitivas, mas, ao menos, dava para usar o sistema sem saber (muito) sobre programação.

Windows 2.0

Divulgação/Microsoft
A segunda versão do sistema da Microsoft foi lançada oficialmente em 9 de dezembro de 1987. A grande novidade, em termos de interface, é que passou a ser possível sobrepor janelas e utilizar atalhos de teclado para agilizar a realização de pequenas tarefas. Fora isso, também dava para mexer no layout da tela, caso necessário.

O sistema foi criado com base no processador Intel 286, de 6 MHz. O PC que tinha esse chip também contava com 10 MB de HD, a RAM variava de 256 KB a 2 MB e ele podia usar disquetes de 1,2 MB. A versão seguinte do processador, chamada Intel 386, foi lançada pouco tempo depois, assim como o Windows/386, que tirava proveito dos recursos de memória estendida, de acordo com a Microsoft.

Estas versões do Windows começaram a dominar os escritórios em 1988.

Windows 3.0

Divulgação/Microsoft
Essa versão do sistema da Microsoft foi uma das mais bem-sucedidas até então. Vendida em disquetes, ela atingiu a marca de 10 milhões de unidades comercializadas em seus primeiros dois anos no mercado. Ela chegou em 22 de maio de 1990 com diversas melhorias.

A mudança mais significativa do sistema foi visual. O Windows 3.0 foi quando o software tomou a forma pela qual ficou conhecida na década de 1990. Além disso, também chegaram alguns elementos familiares para quem conhece bem o Windows: o Gerenciador de Programas, o Gerenciador de Arquivos e o Gerenciador de Impressão foram lançados para facilitar a maneira de interagir com o PC. 

A performance gráfica também melhorou gracas à Memória Virtual. Não à toa, foi que a Microsoft apresentou ao mundo os populares joguinhos Campo Minado, Paciência e Espadas.

Mais programas começaram a surgir nessa época porque a Microsoft disponibilizou um kit de ferramentas para desenvolvedores.

Windows NT

Divulgação/Microsoft
O NT chegou três anos mais tarde, em 27 de julho de 1993. Nas palavras de Bill Gates: "O Windows NT representa nada menos do que uma mudança fundamental na forma como as empresas podem cuidar de suas necessidades de computação comercial". 

O que ele quis dizer é que o Windows ganhou suporte para programas mais avançados e científicos, já que o sistema passou a ser 32 bits, o que lhe permitia lidar com instruções mais complexas.

Windows 95

Divulgação/Microsoft
A partir de 24 de agosto de 1995 foi quando a Microsoft começou a ver o seu sistema invadindo diversos domicílios e empresas. Só nas primeiras cinco semanas após o lançamento, a empresa tinha vendido 7 milhões de cópias.

O Menu Iniciar tomou forma e ajudou a encontrar programas com mais facilidade. A Barra de Tarefas do sistema também apareceu pela primeira vez, assim como a possibilidade de minimizar, maximizar e fechar janelas com um clique. 

Os requisitos mínimos do Windows 95, que era vendido em CD-ROM ou em disquetes, era um processador 386DX e 4 MB de RAM. 

Windows 98

Divulgação/Microsoft
O sucessor do Windows 95 foi software incremental, que melhorou a gestão geral do sistema, como, por exemplo, a agilidade na abertura e no fechamento de programas.

Desde 25 de junho de 1998, conhecemos a Barra de Início Rápido e podemos usar dispositivos USB e reproduzir discos DVD no Windows.

Uma curiosidade: este é o último Windows baseado no MS-DOS.

Windows XP

Divulgação/Microsoft
Ainda usado pela marinha dos Estados Unidos, o XP foi uma edição totalmente redesenhada do Windows, que lhe deu o ar de modernidade que faltava. 

Rápido, estável e intuitivo, o XP tinha versões simples e funcionais dos programas básicos de um sistema operacional. O Windows Media Player, por exemplo, era um tocador de músicas e vídeos com ótimo desempenho – apesar de ter uma biblioteca de codecs pré-instalada relativamente pequena. O editor de vídeos Windows Movie Maker foi outro software muito bem aceito pelos usuários de PCs, mesmo sem ter grandes recursos.

Windows Vista

Divulgação/Microsoft
Na difícil tarefa de ser o sucessor do Windows XP, a Microsoft investiu, em 2006, na criação de recursos mais voltados para empresas do que para os consumidores domésticos. Menos estável do que o anterior, o sistema se destaca pelos recursos de proteção de dados. Isso porque foi no Vista que a Microsoft trouxe a criptografia de unidade de disco BitLocker, que protegia os dados do usuário em um compartimento seguro do HD.

O Windows Media Player ganhou suporte para sinal de TV e edição de vídeos.

Windows 7

Divulgação/Microsoft
Avaliado por 8 milhões de pessoas antes do seu lançamento em 22 de julho de 2009, o Windows 7 conseguiu uma aceitação muito grande e, em 2014, era o sistema mais usado do mundo, estando presente em 50,3% dos computadores.

Além da melhoria da interface, baseada no Windows Vista, o software traz inovações aos usuários. Alguns exemplos são o suporte para reprodução de discos Blu-Ray e a possibilidade de interagir com o sistema com toques. 

Windows 8

Divulgação/Microsoft
O Windows 8 marca a maior mudança de interface e usabilidade do sistema da Microsoft. Em 2012, a empresa apostou todas as fichas nas telas sensíveis ao toque e pensou a navegação principal com base em gestos. A interface clássica ainda estava lá, mas o Menu Iniciar desapareceu – e muita gente não gostou disso.

O software traz pela primeira vez a loja de apps da Microsoft, a Windows Store.

Windows 8.1

Divulgação/Microsoft
O sucessor do Windows 8 trouxe várias melhorias. As que mais se destacam são o buscador Bing, que mostra resultados de pesquisas no PC e na web e um botão iniciar (não um menu) que alterna entre as interfaces Modern e a tradicional. Chegam também nesta edição os aplicativos nativos Bing Receitas e Bebidas e o Bing Saúde e Bem-estar. 

Windows 10

Divulgação/Microsoft
O Windows 10 marca uma mudança na visão de negócios da empresa. Em vez de ser pago, o sistema é oferecido gratuitamente aos consumidores por um ano, desde o seu lançamento, em 29 de julho de 2015. 

Atendendo a pedidos, o Windows 10 traz de volta o Menu Iniciar e a Microsoft parece ter percebido que uma versão para tablets e uma para PCs eram necessária. Com esse insight, a empresa colocou um recurso de software que nos permite transitar entre as duas interfaces quando necessário. Nessa versão, voltou também o joguinho Paciência, ainda que em uma versão modernizada.

Outra novidade foi a chegada da assistente pessoal Cortana, que nasceu no Windows Phone. Ela pode realizar algumas tarefas obedecendo a comandos de voz do usuário.

O Internet Explorer perdeu o posto de navegador principal (apesar de ainda poder ser acessado) para o reformulado Microsoft Edge. Entre as melhorias de estabilidade e interface, o browser também terá suporte para extensões, algo que ajudou a popularizar os concorrentes Chrome e Firefox.

Para o Windows 10, a Microsoft tem uma missão ambiciosa: estar em 1 bilhão de dispositivos até 2018. No primeiro mês após o lançamento, ele estava presente em 75 milhões de aparelhos.
Compart

Por: Mundo MS Inc.

Navegue pela Data e encontre as Matérias em Ordem Cronológica.