Tweetar Post/Página

Emicida




Leandro Roque de Oliveira (São Paulo17 de agosto de 1985), mais conhecido pelo seunome artístico Emicida é um rapperrepórter e produtor musical brasileiro. É considerado uma das maiores revelações do hip hop do Brasil nos últimos anos.[1] O nome "Emicida" é uma fusão das palavras "MC" e "homicida". Por causa de suas constantes vitórias nas batalhas de improvisação, seus amigos começaram a falar que Leandro era um "assassino", e que "matava" os adversários através das rimas.[2][3] Mais tarde, o rapper criou também uma conotação de sigla para o nome: E.M.I.C.I.D.A (Enquanto Minha Imaginação Compor Insanidades Domino a Arte).[3] As suas apresentações ao vivo são acompanhadas do DJ Nyack nos instrumentais.
A primeira aparição do rapper na mídia - fora as batalhas de improvisação - foi o single"Triunfo", acompanhado de um videoclipe com mais de 1,3 mi visualizações no YouTube.[4]Emicida lançou seu trabalho de estreia em 2009, uma mixtape de vinte e cinco faixas intitulada, a Pra quem já Mordeu um Cachorro por Comida, até que eu Cheguei Longe..., pela gravadora independente Laboratório Fantasma. Em fevereiro de 2010, seu segundo trabalho veio em formato de EP com o título Sua Mina Ouve Meu Rep Tamém. Em 15 de setembro do mesmo ano, foi lançada a também mixtape Emicídio, adjunta a um single homônimo.[5] Além de ser cantor, Emicida atua como repórter do programa Manos e Minas, da TV Cultura.[6]

Carreira

[editar]Anos iniciais e batalhas de improviso

A carreira de Emicida teve início no começo dos anos 1990, enquanto seus pais organizavam bailes black na periferia de São Paulo, quando ele então começou a usar os equipamentos e escrever as primeiras rimas.[7] Oriundo de família pobre, ele compunha e passava para seu amigo gravá-las e vendê-las. Seu pai faleceu logo na sua infância, como declarado na canção "Ooorra...".[8]
rapper é conhecido por suas rimas de improviso, o que fez ele se tornar um dos MCs mais respeitados. Venceu onze vezes consecutivas a batalha de MC da Santa Cruz e por doze vezes a Rinha dos MC.[2] Considerado como uma das maiores revelações do underground hip hop nacional, Emicida acumula milhares de acessos em cada batalha sua no YouTube e cerca de 900 mil visualizações do seu perfil noMySpace.[9]
Em uma das batalhas de improviso, que ocorreu no Centro de São Paulo, o rapper duelou com Nocivo Shomon, que pouco tempo depois lançou uma canção diss intitulada "A rua é quem?", já que Emicida é conhecido por utilizar o bordão "A rua é nóiz".[10] No entanto,no dia 30/06/2011, é divulgado em seu canal do youtube, o clipe da música "Então Toma", que foi vista como uma resposta a musica citada antes, porém, Emicida já negou o fato, afirmando em seu twitter oficial que não é de "perder tempo com diss".[11]

[editar]Primeiro trabalho e EP

Emicida (à esquerda) em apresentação ao vivo ao lado de MC Marechal.
Emicida realizou suas primeiras composições gravadas por volta do ano de 2005, período quando entrou nos desafios das batalhas.[12] Em 2008, lançou seu primeiro single, produzido por Felipe Vassão, com o título de "Triunfo".[7] Ele conseguiu a vendagem de aproximadamente setecentas cópias no primeiro mês até a publicação na internet.[13] Junto a ele veio um videoclipe que alcançou mais de seiscentas mil visualizações.[4] No primeiro trimestre de 2009, ocorreu o lançamento da sua mixtape de estreia, com o título Pra quem já Mordeu um Cachorro por Comida, até que eu Cheguei Longe..., que juntou 25 faixas gravadas desde o início da sua carreira.[14] Segundo dados da Revista Época, Emicida vendeu cerca de três mil cópias do disco no "boca-a-boca", com o preço que variava entre R$ 2 e R$ 15.[13]
O artista foi indicado ao Video Music Brasil 2009, prêmio musical brasileiro organizado pela MTV, onde concorreu nas categorias "Melhor Grupo/Artista de Rap", "Aposta MTV" e "Videoclipe do Ano", com "Triunfo", mas acabou derrotado por MV BillVivendo do Ócio e "Sutilmente", deSkank, respectivamente.[15]
Em 2010, Emicida lançou o segundo single da sua carreira, intitulado "Besouro", que foi incluído na sua segunda mixtape.[16] No fim de janeiro do mesmo ano, veio o seu segundo trabalho, o EPSua Mina Ouve Meu Rap Também, com referência para a canção "Sua Mina Ouve Meu Rap", deMC Marechal, com quem mantém afiliações.[17]

[editar]Emicídio

Gnome-mime-audio-openclipart.svg
"Emicídio"
Trecho da canção "Emicídio".

Problemas para escutar este arquivo? Veja introdução à mídia.
No segundo semestre de 2010, Emicida começou a gravação da sua segunda mixtape. Perguntado sobre o fato de não lançar um álbum de estúdio, o rapper afirmou: "É mais caseiro [o formato de mixtape], os produtores amigos meus me mostram os beats que eles fizeram, eu vou para casa, escrevo uma letra. Para fazer um álbum eu queria todo mundo no estúdio, criando aos poucos"[18].
Após um anúncio de uma semana, ocorreu na sexta-feira 13 de agosto o lançamento do seu terceiro single, com o título de Emicídio, que trata sobre as dificuldades que encontrou para chegar onde está.[19] Junto com a canção foi anunciado através do MySpace o lançamento da sua segunda mixtape para 15 de setembro, intitulada Emicídio.[20] Em 9 de setembro, Emicida compareceu ao Programa do Jô, na Rede Globo[21], fato que fez o MC alcançar os trending topics mundiais do Twitter.[22]
A capa da mixtape foi divulgada juntamente com a lista de faixas no dia 12 de setembro.[23] Emicídio traz dezoito faixas e participações derappers como Kamau em "De onde cê vem" e Rael da Rima em "Beira de piscina".[24] Nela, Emicida trata de assuntos como ser pai, as batalhas de MC, o rap atual, seus amigos, sua mãe, entre outros.[25] Semelhante ao que aconteceu no lançamento do seu primeiro trabalho, a gravadora Laboratório Fantasma estipulou o preço máximo de R$ 5 para cada disco e convocou via internet representantes para a revenderem em todos os locais do Brasil.[26]
Em dez dezembro de 2010, Emicida fez participação no single "Olha pros neguinho", do rapper Xará.[27]

[editar]Doozicabraba e a Revolução Silenciosa

O álbum foi produzido pelos norte-americanos do K-Salaam e pelo Beatnick em parceria com The Studio, teve participações da cantoraPaola LucioRael Da RimaEvandro FiótiDon PixoteMV Bill e as batidas de Beatnick e K-Salaam. O download do disco do rapperEmicida, foi disponibilizado gratuitamente na internet, para baixar era necessário postar um tweet. A festa de lançamento do álbum aconteceu durante o festival The Creators ProjectBrasil 2011, realizado no Pavilhão da Bienal, no Parque do Ibirapuera.

[editar]Aparições na mídia

Em fevereiro, Emicida fez uma participação especial no Altas Horas, programa de auditório da Rede Globo, onde apresentou as canções "E.M.I.C.I.D.A." e "Triunfo".[28] Sua presença no programa marcou uma nova era do rap nacional, que antes era conhecida pela mente fechada, com pouca aparição na mídia e críticas para a respectiva emissora. Ingressou no elenco do programa Manos e Minas, da TV Cultura, em abril de 2010, onde se tornou repórter, entrevistando diversas celebridades do mundo musical.[6]
Realizando diversas apresentações pelo Brasil, Emicida foi convidado a participar da Virada Cultural de 2010, onde se apresentou junto comEllen Oléria e foi considerado um dos destaques do evento, junto a Mallu Magalhães.[29] Em outro festival no mesmo ano, o Coquetel Molotov, o rapper também foi considerado como uma das principais atrações do evento.[30]
Juntamente com rappers como Kamau, Rincon SapienciaRappin' HoodNegra Li e Aggro Santos, Emicida fez uma participação no novo álbum de NX Zero, chamado Projeto Paralelo.[31][32] Emicida cantou Só Rezo 0.2 junto com a rapper norte-americana Yo-Yo (afiliada dos consagrados Ice Cube e Public Enemy), música que foi acompanhada de um videoclipe.[33]

[editar]Discografia

[editar]Mixtapes

[editar]EP

[editar]Singles

Compart

Por: Mundo MS Inc.

Navegue pela Data e encontre as Matérias em Ordem Cronológica.